Sabedoria e Pandemia

Como se pode acompanhar pelos noticiários, estamos enfrentando uma pandemia do chamado coronavírus. No dia 16 de março de 2020 a Prefeitura de Joinville emitiu a portaria 35/2020/SMS estabelecendo medidas preventivas para o controle da transmissão do mesmo. A Secretaria de Saúde recomenda o cancelamento de todos os eventos com mais de 100 pessoas em ambiente fechado.

Uma vez que contamos com um menor número de pessoas, o consistório decidiu por ainda não cancelar os cultos (como está ocorrendo em outros lugares). Contudo, as medidas abaixo serão tomadas visando a preservação da vida por amor ao próximo (como temos aprendido: segunda tábua, sexto mandamento). Novas medidas podem vir a ser aplicadas nos próximos dias, e faremos o possível para manter todos informados.

Se você está entre o grupo de risco identificado até o momento (e. g. idosos acima de 60 anos, diabéticos, cardíacos, asmáticos ou com deficiência imunológica) por favor, tome as devidas precauções e permaneça em casa.

Se você apresenta algum dos sintomas associados ao coronavírus (sintomas similares aos da gripe comum, tosse e febre), por favor, também permaneça em casa. Caso haja algum agravamento dos sintomas, especialmente dificuldade respiratória, procure um pronto socorro imediatamente.

Lembrem-se também que o pânico é outro vírus perigoso e contagioso. Logo, se você está muito abalado ou beirando o desespero, ou se está inclinado a compartilhar o alarmismo que deixa outros abalados, por favor, permaneça em casa (cf. Dt 20.8). E se você acha que nada está acontecendo, higienize as mãos e use-as para abrir os olhos.

Se você ficar em casa, lembre-se que domingo ainda é o dia do Senhor — e por favor, comunique o consistório (aliás, esse sempre é o ideal). Disponibilizaremos áudios e/ou vídeos de pregações para que você possa ter acesso, e encorajamos os irmãos a descansarem, corpo e alma. 

Aos quais as recomendações acima não se aplicam, por favor: lave suas mãos antes de vir aos cultos, e se você possui algum higienizador portátil (álcool em gel ou similar), traga-o junto e use-o à vontade. O hotel também disponibilizará higienizador no saguão e banheiros.

Evite cumprimentar apertando mãos ou abraçando. Mas seja gentil; não deixe de saudar os irmãos com um sorriso e falando em alto e bom tom. Durante os períodos de confraternização, antes e depois do culto, seja cuidadoso e mantenha uma distância segura.

Pelos próximos domingos voltaremos a fazer uso das duas salas a fim de que haja mais espaço e diminuir o aglomero. As cadeiras serão espaçadas com uma distância maior. Também não teremos o momento de abraços com música de confraternização durante o culto (peguei vocês!).

A celebração do sacramento da ceia será adiada até que as condições sejam mais seguras, assim como as demais atividades pastorais presenciais como visitação ordinária e aconselhamento. Isso, por óbvio, não quer dizer que devemos evitar a comunhão à qualquer custo, mas que devemos ser prudentes e sábios.

Se você tem acompanhado as discussões sobre a legitimidade do estado recomendar e/ou exigir o cancelamento de cultos e a resposta adequada da igreja, podemos conversar sobre duplex regimem, e a relação entre a autoridade in sacris e circa sacra pessoalmente. Mantendo a distância de um espirro, claro.

Por fim, não devemos esquecer que tudo está debaixo da autoridade e governo de Cristo, e ele julga as nações com justiça. Por isso, devemos orar não apenas para que o Senhor nos mantenha sãos e salvos, mas para que homens se rendam a ele — desde a nação onde o vírus se originou, que insiste em suprimir o evangelho e perseguir os discípulos de Cristo até a nossa própria nação, que se afunda em iniquidades.

Por fim, não devemos esquecer que tudo está debaixo da autoridade e governo de Cristo, e ele julga as nações com justiça.

— Thiago McHertt

Lembremo-nos de que nosso único consolo na vida e na morte é que “não pertencemos a nós mesmos, mas pertencemos de corpo e alma, tanto na vida quanto na morte, ao nosso fiel salvador Jesus Cristo. […] Ele nos guarda de tal maneira que sem a vontade do nosso Pai celeste nem um fio de cabelo pode cair da nossa cabeça; na verdade, todas as coisas cooperam para a nossa salvação. Por isso, pelo seu Espírito Santo, ele também nos assegura a vida eterna e faz-nos dispostos e prontos de coração a viver para ele de agora em diante” (Cat. de Heidelberg, Resp. 1).

PS: Este texto foi amplamente baseado no anúncio feito aos membros da Christ Church em Moscow, ID.


Autor: Thiago McHertt