O Primeiro Passo

Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele.

Provérbios 22.6.

Em primeiro lugar, se você deseja educar o seu filho da maneira adequada, você deve fazê-lo no caminho em que ele deve andar — não de acordo com os desejos dele.

Lembre-se: a criança nasce com uma inclinação evidente para o mal (cf. Sl 51.5). Portanto, se você deixá-la escolher por si mesma, por certo, ela escolherá errado.

Não há como uma mãe saber como será o seu tenro bebê quando crescer — se alto ou baixo, fraco ou forte, sábio ou tolo. Ele pode ou não ser qualquer uma dessas coisas. Tudo isso é incerto. Mas uma coisa ela pode saber com certeza: ele terá um coração corrupto e pecaminoso. Para nós, é natural fazer o mal. Salomão diz: “A estultícia está ligada ao coração da criança” (Pv 22.15). “A criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe” (Pv 29.15). Nosso coração é como a terra na qual plantamos. Deixe-a por si só e, por certo, surgirão ervas daninhas.

Nosso coração é como a terra na qual plantamos. Deixe-a por si só e, por certo, surgirão ervas daninhas.

Então, se você deseja lidar de forma sábia com o seu filho, não deixe-o guiar-se por sua própria vontade. Pense, julgue, aja por ele, assim como você faria por alguém fraco ou debilitado. Mas pelo amor de Deus, não o entregue aos seus próprios gostos e inclinações rebeldes. Suas vontades e desejos não devem ser consultados. Ele sabe tão pouco sobre o que é bom para a sua mente e alma quanto o que é bom para o corpo. Você não deve deixá-lo decidir o que comer ou beber, ou como se vestir. Seja consistente, e lide com sua mente da mesma forma. Treine-o no caminho bíblico e correto, não da forma que ele deseja.

Se você não está convencido quanto a este primeiro princípio da educação cristã, será inútil continuar lendo. A vontade própria é, quase sempre, a primeira coisa que surge na mente de uma criança. E o seu primeiro passo deve ser resisti-la.


Esta série de postagens foi extraída do livreto The Duties of Parents, e continuará conforme a ordem do sumário original. Para acessar as outras postagens, clique aqui.


Autor: J. C. Ryle | Tradução: Thiago McHertt