Catecismo Covid-19: Perg. 03

Até aqui você falou de algumas verdades teológicas — como a soberania e bondade de Deus, o que é muito bom. Mas é errado fazer perguntas práticas sobre a autoridade das quarentenas, ser um bom vizinho, como alimentar minha família e coisas assim?

Não, não é errado ter dúvidas práticas. De fato, seria errado não tê-las. Mas queremos ter certeza de que não começamos com o passo errado na nossa resposta a estas questões.

Isso se dá pois, na vida cristã, todo fazer deve estar baseado no ser. Ser precede o fazer. Nesse caso, ser significa estar em paz, e estar contente com a vontade de Deus para você e sua família. Se você está irado, ou temeroso, ou se está tentando controlar tudo, isso significa que o que quer que faça, você fará errado. Deus se importa com advérbios — não apenas o que fazemos, mas como estamos fazendo, e que conduta temos enquanto fazemos.

Se você está temeroso e se esconde debaixo da cama, você fará isso errado. Se você é ousado e aventureiro e sai para mostrar sua coragem para todo mundo, fará isso errado. Então, é muito melhor ter a bênção do Espírito de Deus sobre o que você for fazer do que tomar uma atitude tecnicamente “correta”. E a bênção do Espírito sempre inicia com termos ou não a alegria do Senhor.

E então, se você aprendeu as lições das duas primeiras perguntas — a absoluta soberania de Deus, e sua igualmente absoluta bondade — isso significa que você será capaz de agradecer a Deus pelo o que ele está fazendo em sua vida, na da sua família, dos seus compatriotas, e na vida de todos os outros terráqueos.

Isso é o que vemos em Efésios 5. Logo após os santos serem cheios do Espírito, de tal forma que são capazes de transbordar em salmos, hinos e cânticos espirituais, o que lemos? “Dando sempre graças por tudo a Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo” (Ef 5.20).

Note que isso quer dizer que devemos dar graças por todas as coisas. Não apenas em todas as coisas, não apenas apesar de todas as coisas. Por todas as coisas.

Note que isso quer dizer que devemos dar graças por todas as coisas. Não apenas em todas as coisas, não apenas apesar de todas as coisas. Por todas as coisas.

— Douglas Wilson

Uma vez que você sabe que Deus é soberano no céus, e que Deus é a própria bondade, o tempo todo, e você faz a escolha de agradecê-lo por essa aflição particular, você estará respondendo como um cristão e não um estóico.

Tendo feito isso, o terreno estará pronto. Então seremos capazes de discutir com proveito a legítima autoridade dos magistrados, a autoridade pedagógica dos cientistas, a autoridade jurídica que os presbíteros da sua igreja têm, e sua autoridade nos limites da sua casa.


Autor: Douglas Wilson | Tradução: Thiago McHertt