A Cláusula de Controvérsia

A Igreja Memorial era firme e antiga, e por isso, foi uma surpresa e tanto para todos quando se viram no meio de uma controvérsia. Ela ocorreu pois um dos pastores auxiliares se pronunciou em uma audiência da câmara municipal sobre a expansão do estacionamento do shopping center perto da sua casa, e ele fez um comentário de passagem sobre a agenda LGBTQ. Esse não era o tema da audiência, e ele estava falando na qualidade de um cidadão privado, mas uma emissora de televisão local transmitiu o trecho, exibindo seu vínculo e o nome da igreja em destaque. A controvérsia se focou na exigência de um pedido de desculpas por parte da igreja. O pastor insistiu que seu auxiliar não se desculpasse, e então, a igreja passou por cerca de três semanas de controvérsia intransigente — algo totalmente novo para alguns dos membros.

Se você vai deixar uma igreja sem ter um bom motivo, então, você realmente precisa encontrar um bom motivo.

Eles não gostavam do desfavor do mundo, e ainda assim, sabiam também que debandar logo após do começo do tiroteio é, em geral, considerado um ultraje. E então aconteceu que Herman Peaton e sua esposa Gina começaram a achar que os sermões não eram mais tão edificantes como costumavam ser. Deixar a igreja por amizade com o mundo soava agir como Demas (cf. 2Tm 4.10), e então, era necessário abandoná-la porque o pastor não estava mais “pregando a Cristo”. Se você vai deixar uma igreja sem ter um bom motivo, então, você realmente precisa encontrar um bom motivo.


Todos os personagens e situações da série “Cinquenta Maneiras de Abandonar os Irmãos” são completamente fictícios. Contudo, os padrões descritos não o são, e sem dúvida serão reconhecidos de imediato por qualquer pastor experiente.


Autor: Douglas Wilson | Tradução: Thiago McHertt